Dez dicas para uma boa entrevista

1. Sites na Internet
Hoje em dia quase todas as empresas têm Sites na Internet. Aprenda algo sobre a empresa antes de ir a uma entrevista. Mas, atenção, não mostre que sabe demais sobre a empresa. Use essa informação para fazer algumas perguntas sobre a empresa.

2. Escrever as perguntas
Liste no papel todas as perguntas que você pensa que um entrevistador lhe poderia fazer. Então prepare algumas respostas e escreva-as por baixo das perguntas. Escrever as perguntas e as respostas ajudá-lo-á a recorda-las. Pratique com o alguém as respostas a essas mesmas perguntas.

3. Pontos fracos/pontos fortes
Pense nas suas fraquezas. Deve estar preparado para que lhe façam referencia a uma área na qual a sua experiência / conhecimento têm algumas falhas. Se não lhe for perguntado, encontre uma maneira incluir isso na entrevista. Os entrevistadores esperam ouvi-lo falar nos seus pontos fortes, mas não esperam ouvi-lo falar dos seus pontos fracos ou "necessidades". Apreciarão a sua sinceridade, e irá impressiona-los. Entretanto, assegure-se de que as falhas que você divulgue podem ser facilmente remediadas.

4. Justificação
Leia o seu C.V. e planeie como explicar um “lapso de tempo”. Por exemplo, se você tiver um par dos meses entre deixar um trabalho e começar um novo, certifique-se de que tem uma boa explicação para o que fez durante o período intermédio entre os dois empregos

5. Sentimentos
Certifique-se de que o seu passado académico e ou de trabalho, sejam discutidos. Assim, esteja preparado para falar sobre realizações específicas, uma melhor descrição do trabalho. Explique o que você sentiu sobre um sucesso ou um fracasso. Os sentimentos são importantes.

6. Questões
Evite perguntas que empurrem o entrevistador para um compromisso - a menos que você esteja a ser entrevistado para um trabalho de vendas. Algumas perguntas boas a levantar são:
- Pode falar-me um pouco sobre as pessoas que trabalham nessa equipa?
- Com que frequência as pessoas progridem na organização?
- Quando é que se pode esperar uma decisão sobre este processo de selecção?

7. Terceira pessoa
Use os verbos na terceira pessoa, evite o "eu", ao falar sobre o trabalho. Evite falar como se o trabalho já fosse seu. Não pergunte: "Qual vai ser o meu salário por mês? " Pergunte antes: "Qual é aproximadamente o salário mensal para este cargo? ".

8. Aspectos positivos da empresa
Encontre algo positivo sobre a empresa enquanto pesquisa as informações que recolheu no Web Site da empresa, algo que você sinta que o entrevistador saberá responder e dê-lhe a oportunidade de falar (orgulhosamente) sobre isso.

9. Imagem
Se o seu C.V. não tiver já uma fotografia assegure-se de que leva uma foto e mais um C.V. consigo para a entrevista.

10. Preparação
Se não conhecer exactamente o local da entrevista tente sair uma hora mais cedo para chegar a tempo. Independentemente de uma boa desculpa, um atraso dá logo uma impressão negativa sobre si. Se você puder leve um telemóvel. Se ficar preso no meio do transito, você pode pelo menos avisar o entrevistador do seu atraso.

Fonte: www.netempregos.pt; www.saldopositivo.cgd.pt;

Dez dicas para um bom C.V.

1. Mantenha-o simples
Um C.V. não é mais do que um pequeno esboço do seu historial académico e profissional. Use-o para chamar a atenção para os seus pontos fortes, sem entrar no entanto em demasiados detalhes. Você pode sempre explicar a um empregador os detalhes, uma vez que o convidem para uma entrevista.

2. As suas realizações
Faça uso frequente de verbos activos, ex.: conseguir, concretizar, controlar, alcançar, liderar. Use marcas para enfatizar os sucessos chave da sua vida. Não escreva frases demasiado compridas para descrever tópicos sobre o trabalho.

3. Trabalhe em ordem inversa
Comece cronologicamente com seu emprego mais actual e depois os anteriores, não se esquecendo de incluir o nome das empresas, as datas, o cargo ocupado e uma descrição breve, e as suas realizações mais importantes. Se você estiver á procura do seu primeiro trabalho, inclua toda e qualquer experiência de trabalho relevante, independentemente de ter sido pago ou não pago.

4. Construa o seu C.V. à medida de cada empresa/trabalho
Os empregadores apercebem-se logo se um C.V. foi feito tipo “linha de montagem” e despachado aos “caixotes” por correio. Faça-lhes sentir que conhece a empresa e que está verdadeiramente interessado em ingressar nessa organização.

5. Seja honesto
Mentir no seu C.V. é um desperdício do seu tempo e do seu potencial empregador. Adicionar seis meses no tempo de um emprego anterior, pode parecer uma ideia boa, mas se você for apanhado, irá perder as hipóteses de ficar com o emprego.

6. Habilitações
Dê bastante atenção às suas realizações na universidade - mas não se você já estiver no mercado de trabalho há mais de dois anos. Alguns exemplos bons são: membro da associação de estudantes, participação e organização em projectos especiais e ou de investigação, debates e conferencias. Todo este tipo de informações mostram que você tem iniciativa.

7. Não faça do seu C.V. um testamento
Tente mantê-lo com uma página e com uma folha separada para referências. Se não tiver espaço para toda a informação, não reduza o tamanho da letra. Isso só irá fazer com que o empregador perca rapidamente o interesse em ler o seu C.V..

8. Erros
Os erros ortográficos e de gramática significam que o seu C.V. vai directo para o caixote de lixo. Nenhum empregador quererá empregar alguém que não se dá ao trabalho de verificar o seu próprio trabalho. Não confie na verificação automática, leia-o atentamente varias vezes.

9. Peça ajuda
Dois pares de olhos vêm mais que um. Peça a alguém para ler o seu C.V., sempre pode encontrar alguns erros ou oferecer sugestões. Depois de você ter lido o seu C.V. quatro ou cinco vezes é difícil concentrar-se e ser objectivo. É sempre boa ideia voltar a le-lo no dia seguinte, com a cabeça mais fresca.

10. Referências
Verifique as suas referencias antes de usar os seus nomes. Não há nada pior do que usar o nome de alguém que se mudou ou tem alguma coisa contra si. As melhores referencias para você usar são seu empregador actual ou um professor seu da universidade - alguém que sabe como você reage num ambiente de trabalho.

Fonte: www.netempregos.pt; www.saldopositivo.cgd.pt;

Dez dicas para encontrar emprego

A procura de emprego pode ser um processo cansativo. Procurar uma oferta que vai de encontro às suas competências, entregar o currículo várias vezes e não obter resposta é uma atividade frustrante. Os números do INE não dizem nada de novo: no quarto trimestre de 2013 existiam cerca de 827 mil pessoas que estavam sem emprego, o que representa uma taxa de população desempregada de 15,3%. Face a este problema intergeracional, consequência de uma crise económica sem precedentes, existem várias táticas que pode utilizar se está à procura de emprego.

1. Esteja presente no LinkedIn
Apostar nas redes sociais pode ser uma boa forma de manter-se a par do mercado de trabalho. Além de algumas ofertas estarem presentes nesta rede social dedicada aos profissionais, ter o seu perfil atualizado e com descrições do que já fez pode ajudar o seu futuro empregador a conhecer melhor a suas qualificações e competências. Para ficar mais esclarecido sobre este ponto, leia o artigo “Sete dicas para conseguir emprego através do LinkedIn”.

2. Aposte no ‘networking’
Estabeleça contatos com colegas e amigos e informe-os que está à procura de trabalho. Se tiver um perfil ativo no LinkedIn tente também entrar em contato com responsáveis de empresas de recrutamento ou responsáveis da empresa onde gostava de trabalhar. Peça conselhos e dicas que possa implementar na sua procura de emprego.

3. Procurar nos sítios certos
Nos tempos que correm existem vários locais com ofertas de emprego. A internet tem sido o local de excelência para a divulgação de ofertas. No entanto, é necessário que tenha em conta que muitas ofertas não são verdadeiras. Por isso, responda apenas a ofertas que estejam em sites credíveis, como os sites das agências de recrutamento e que divulguem o nome da empresa.

4. Esteja atento às ofertas de emprego
Dedique uma ou duas horas do seu dia para pesquisar as várias ofertas de emprego. Pesquise na internet, nos jornais diários e semanários. Procure também visitar o Centro de Emprego da sua área de residência, a junta de freguesia e esteja atento aos ‘placards’ dos supermercados. Procure também informar-se sobre os concursos públicos de emprego divulgados em Diário da República.

5. Atualize os seus conhecimentos
Se está sem emprego, aposte na sua formação. Opte por formações e ‘workshops’ para fornecer o seu currículo de vantagens diferenciadoras face aos outros candidatos. Se preferir, pode ainda optar por obter uma licenciatura ou mestrado. O importante é que esteja a par do que se passa no mercado de trabalho, em particular na sua área de especialização.

6. Crie um CV marcante
Com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo é importante que o seu ‘curriculum vitae’ se distinga do dos outros candidatos. Olhe para o seu currículo como um instrumento que irá mostrar ao seu futuro patrão, o porquê de contratá-lo. Liste as suas principais competências e experiência mais relevante, bem como as suas ‘soft skills’.

7. Escreva uma carta de apresentação
Muitas ofertas de emprego pedem que envie em conjunto com o seu CV uma carta de apresentação ou motivação. É imperativo que escreve uma carta de apresentação que reflita o espírito da empresa e que seja entusiasmante de forma a despertar curiosidade sobre o seu currículo.

8. Pesquise sobre a empresa
Antes de concorrer a uma oferta de trabalho, pesquise informações sobre a empresa a que se candidata. Leia o site da empresa, bem como as redes sociais em que ela está presente. Informe-se sobre as políticas internas da empresa, de forma a adequar o seu discurso e a sua forma de vestir.

9. Siga as regras de ouro antes de ir a uma entrevista de emprego
Se foi chamado para uma entrevista, encare-a como um exercício que poderá ser repetido várias vezes. Esta é uma forma de poder aprender com esta experiência caso não seja chamado para ocupar a vaga oferecida. Leia o artigo “Sete regras de ouro para arrasar numa entrevista de emprego”, para saber de que forma se pode preparar.

10. Mantenha-se entusiasmado e motivado

Fonte: www.netempregos.pt; www.saldopositivo.cgd.pt;

Oito dicas para se manter motivado e ter sucesso na entrevista

Receber muitos “nãos” numa altura em que se está mais sensível pode ser devastador. O importante é que se mostre entusiasmado e motivado nas entrevistas de emprego. Fale de forma confiante e tente convencer o recrutador que é a pessoa mais habilitada para exercer a função a que se candidata.
A timidez pode ser um “handicap” na hora de procurar um emprego. A falta de confiança, o coração a palpitar, as mãos a tremer e o suor a escorrer podem atraiçoá-lo, mesmo que tenha consciência de que é o candidato ideal para o emprego em questão e que domina a sua profissão como poucos.
Mas ser tímido não tem de ser um impedimento na sua carreira. Existem formas de contornar a questão. Johnny Depp, Nicole Kidman ou Lady Gaga são algumas das celebridades de Hollywood mais tímidas e isso não as impediu de terem sucesso. Se é o seu caso, concentre-se nas suas melhores características e enfatize os pontos fortes.

1. Seja honesto
Isto não se aplica apenas aos tímidos: a sinceridade é valorizada numa entrevista de emprego. Nunca se venda por algo que não é e se a timidez é uma característica sua, seja honesto em relação a isso. Sem mostrar insegurança, procure estabelecer alguma empatia com o entrevistador ao revelar que considera o processo de recrutamento um pouco intimidante. Quase todas as pessoas já passaram por um processo de recrutamento e sabem como pode ser esgotante.

2. Enfatize as suas forças
Não se rotule como introvertido irrecuperável, mas enfatize algumas características comuns entre os mais tímidos como a criatividade, foco e aptidão para trabalhar em grupo. Estas costumam ser um trunfo na atividade profissional.
Uma forma de aliviar a ansiedade de uma entrevista é focar-se no campo profissional: fale sobre os trabalhos que realizou, em vez de se focar na sua vida pessoal e, desta forma, deixe a paixão pelo trabalho transparecer. Se se atrapalhar com as palavras, ajuda ter um portefólio profissional pois trata-se de um exemplo do que está a dizer.

3. Procure um trabalho adequado
Os tímidos podem dar excelentes vendedores, mas o contacto constante com o público poderá ser desgastante. Procure um trabalho que enfatize os seus pontos fortes e não “deixe a nu” as suas fraquezas.

4. Prepare-se: ensaie a conversa
Uma boa forma de controlar a ansiedade é preparar-se. Faça o trabalho de casa e pesquise sobre a empresa, sobre o trabalho que poderá desempenhar e, quem sabe, sobre as pessoas com quem vai trabalhar. A internet é um excelente meio para isso. Planeie e ensaie uma conversa inicial e até algumas questões.

5. Use e abuse da internet
Se é demasiado tímido para se vangloriar das suas conquistas profissionais, deixe o seu trabalho falar por si. Desenvolva um site ou um blog com o seu portefólio online e mostre-o nas redes sociais. Se estiver à procura de emprego, alerte os seus colegas e amigos através do facebook ou twitter, encaminhando-os para o seu sítio online para que possam apreciar o seu trabalho. Esta forma é muito menos stressante do que ir à procura de emprego pessoalmente.

6. Procure uma empresa de recursos humanos
Se não consegue ultrapassar o receio de um primeiro contacto com uma potencial companhia para trabalhar, equacione contactar uma empresa de recrutamento que o ajude a fazer pesquisa e lhe marque entrevistas. Isto poderá trazer-lhe mais confiança e os especialistas poderão ajudá-lo a relaxar e brilhar na entrevista.

7. Agradeça a entrevista posteriormente
Se, apesar de ter dado o seu melhor, sente que não conseguiu dizer tudo o que pretendia ou que se esqueceu de dar alguma informação importante, envie um e-mail ao entrevistador a agradecer a entrevista, aproveitando para dizer o que ficou por dizer. Esta é a sua segunda hipótese para brilhar e causar boa impressão.

8. Procure melhorar
Ser tímido não significa que não possa ser um bom conversador, vendedor ou relações públicas. Se acha que lhe faltam algumas habilidades de trabalho, como à vontade a discursar em público ou a fazer apresentações, em faça um curso sobre o assunto. Certifique-se de enunciar isso quando for a uma entrevista, de forma a que potenciais empregadores possam ver que está a tentar melhorar essas falhas.

Fonte: www.netempregos.pt; www.saldopositivo.cgd.pt;

Copyright © 2016 · Todos os direitos reservados · CERCIAG